Projeto do Mercado Publico da Barra é aprovado no Conselho da Cidade

06 de agosto de 2019

A notícia foi dada pelo próprio Prefeito em uma das suas midias sociais no dia 03 de Agosto de 2019. O Projeto foi aprovado pelo conselho da cidade. 

A obra será uma parceria Público Privada, o que garantira sua execução assim também como a sua manutenção.

O projeto prevê 3.500m², localizado no Bairro da Barra. As beirra do Rio Camboriú, a mesma contara com 31 box, espaços para gastronomia e restaurantes, além de mirantes. A obra agregará a pesca artesanal e a cultura da região a Turismo de Balneário Camboriú.

Vamos aguardar...

Informações para Financiamento de Imóveis

30 de agosto de 2016

Financiamento de Imóveis

>

O financiamento tem sido a saída para muitas pessoas que sonham em não ter que se preocupar mais com aluguel. Por outro lado, ainda existem muitos usuários que não sabem como financiar um imóvel. Para tirar as suas dúvidas, a Sander Imóveis preparou algumas dicas para você buscar crédito no lugar certo.

Primeiros Passos para Buscar Financiamento

O primeiro passo para você conseguir realizar o sonho da casa própria é a busca do crédito em um banco ou em algum programa do governo. Bancos como a Caixa Econômica FederalBradesco, Banco do Brasil, Itaú e programas do Governo Federal como o Minha Casa Minha Vida são os melhores caminhos para comprar casas ou apartamentos.

Tenha ciência de que, para conseguir um financiamento, você vai precisar cumprir alguns pré-requisitos. Veja quais são:

Ter a documentação necessária: o primeiro passo para ter um financiamento de imóvel é ter em mãos a documentação necessária: Extrato do banco, CPF, declaração de Imposto de Renda e Carteira de Identidade. Se você for comprar um imóvel usado, vai precisar do CPF do proprietário, registro do imóvel e comprovação de quitação de tributos (IPTU, condomínio etc). Para ter mais informação sobre as documentações necessárias acesse o link: Documentações para Compra & Financiamento.

Nome limpo: nem todas as pessoas que tentam conseguir um financiamento para casa o conseguem. Um dos principais empecilhos é ter o nome sujo na praça. Caso você tenha problemas no Serasa ou SPC (salva raros casos como em programas do Governo Federal) as chances de receber um “não” são grandes.

Comprovar renda: para conseguir financiar um imóvel você tem que comprovar que ganha mensalmente, no mínimo, o triplo (mais exatamente 3,33 vezes) do valor financiado. Em outras palavras, você só conseguirá financiar imóveis que atinjam 30% do seu salário. Para fazer a comprovação de renda, você pode usar o contracheque do seu emprego ou declaração de imposto (principalmente se você for um empreendedor).

Para participar do programa Minha Casa Minha Vida, você tem que ganhar esse valor. Mas também não pode ter renda maior do que 5.300 reais mensais. Ou 4.300 reais mensais se for um imóvel à venda fora de regiões metropolitanas. O tipo de financiamento que você vai receber também será calculado de acordo com sua renda.

Ter um valor de entrada para aluguel: normalmente, você terá que ter um valor inicial para fazer o financiamento de um imóvel. O valor varia, mas gira em torno de 20% do valor total do imóvel. O imóvel só é 100% financiado se você compra novo. Tenha ciência de que precisa ter uma reserva de investimento para começar a financiar um imóvel.

Mais Algumas Coisas a Estar Atento

Agora que você já sabe como financiar um apartamento ou uma casa saiba que tem mais algumas coisas para estar atento. A primeira delas é o quanto de juros que o banco vai cobrar com o passar dos anos. Por ser uma transação de longo prazo, é bom pesquisar quais são os bancos que têm as menores taxas.

Outro fator a se pensar é em quanto tempo vai querer pagar o imóvel. Tenha em mente que quanto menor o tempo de financiamento, menor vai ser o valor de juros embutidos. Visto isso, você pode começar a pensar com carinho na sua tão sonhada casa própria.

Fonte: http://www.vivabalneario.com.br/

LOFT, FLET OU KITNET QUAL A DIFERENÇA?

23 de agosto de 2016

Os lofts,  flats e as kitnets se popularizaram no Brasil nos últimos anos, mas afinal qual é a diferença entre eles?

O Loft

Um conceito único. A ideia do que é um loft começou ainda no século XIII nos espaços rurais, geralmente nos mezaninos dos celeiros onde guardavam os fenos ou onde até mesmo os funcionários das fazendas moravam. Na década de 50, na França, surgiram os primeiros loftsurbanos como conhecemos hoje.

Eles começaram a ser popularizados na década de 60, em Nova Iorque, nos prédios industriais de bairros decadentes como o Soho, que depois da chegada desses tipos de locações voltaram a ser apreciados, principalmente por artistas da cidade. Muitas caracteriza-se por um espaço aberto, com o pé direito muito alto em prédios industriais.

Loft do inovador You!

Os flats são apartamentos comuns, mas com algumas diferença marcantes. Enquanto um apartamento comum tem marcações padrões entre cômodos e todos os apartamentos do mesmo prédio seguem esse padrão, os flats podem diferenciar entre si pelas marcações, podendo ser cada um de um jeito. Além disso contam com serviços de quarto como os hotéis. Eles apareceram no Brasil nos anos 70, mas se popularizaram na década de 80, dando um avanço muito grande para o mercado imobiliário da época.

>


O Kitnet

Com o aumento populacional nas cidades grandes, os Kitnets se tornaram indispensáveis para algumas pessoas, principalmente para solteiros ou casais sem filhos. São pequenos espaços que contam com todos os cômodos em um só, os valores baixos e a praticidade pelo tamanho fez com que eles façam bastante sucesso, principalmente entre os mais jovens.

FONTE:http://www.passe.com.br/blog/loft-flat-e-kitnet-qual-a-diferenca/